Corrupção na ditadura militar

Corrupção na ditadura militar

Eduardo Vasconcellos, Facebook – 

Às pessoas que defendem a volta dos militares com o argumento de que na época deles não existia corrupção, lembro à todas que o Brasil vivia uma dura ditadura, onde a censura era voraz, ou seja qualquer denúncia contra os generais era imediatamente censurada e seu autor preso.

Para arejar um pouco mais a memória dos defensores da ditadura, pontuo alguns casos de corrupção ocorridos no dito período, poucos para não me alongar: Capemi, Transamazônica, Tucuruí e outros tantos.

Para clarear mais ainda, a Capemi era um conglomerado de 23 empresas, todas controladas por oficiais da reserva ligados ao SNI, sendo que duas ligadas diretamente, uma ao filho do ex-presidente Figueiredo, Paulo Renato, e outra ao irmão do General Newton Cruz, Nylson de Oliveira e Cruz.

Só na construção do lago de Tucuruí, a Capemi levou 400 milhões de dólares, na época. Ah, tinha me esquecido do caso da Revista Cruzeiro e do caso Baumgarten, conhecido informante do SNI. Então, antes de falarem um absurdo desses, conheçam a história do país. Claro que não preciso lembrá-los dos mortos e desaparecidos do período mais obscuro da nossa história.

Deixe um comentário