Já são cinco os casos de mães com bebê agredidas por uso de vermelho

Já são cinco os casos de mães com bebê agredidas por uso de vermelho

Por Alceu Luís Castilho, publicado no Blog do Alceu Castilho – 

Em SP, uma mãe recebeu uma pedrada, na altura da criança; outra foi acuada em um supermercado; no Rio, motoqueiro disse que ia dar um tiro na mãe e na bebê

São Paulo teve na semana passada dois casos em que as mães estavam vestidas de vermelho, com bebê no colo, e mesmo assim foram agredidas. Uma delas foi acuada. Outra viu uma pedra ser atirada na altura da criança. No Rio, mais um caso envolvendo a ira criminosa de fascistas. A diferença é que o próprio bebê era quem estava vestido de vermelho.

bebê-Rio

Macacão da Minnie: motivo para agressão no Rio (Arquivo: Monique Ranauro)

Dois desses casos foram relatados pela imprensa, mas isoladamente. Um pelo portal R7, outro pelo blog do Luis Nassif. Não se tornaram um tema nacional. O caso da blogueira Rafaela Freitas, em São Paulo, ainda não foi divulgado. Vejamos seu relato:

– Quinta feira,por volta das 13 horas, fui levar meu filho de 3 anos na escola, no Butantã, como de costume. Por acaso eu estava usando uma blusa vermelha. Ao parar no farol ouvi xingamentos, buzinadas e me jogaram uma pedra que pegou na minha perna, na altura da cabeça do meu filho de 3 anos. Assustador, triste e lamentável. A pedra machucou minha perna mas poderia ter acertado meu filho.

Na quarta-feira, foi a vez da blogueira Matê da Luz testemunhar o refúgio de uma mãe com bebê um supermercado. Também em São Paulo. Conforme seu relato reproduzido pelo site do Luis Nassif, ela estava na fila quando a mãe entrou com um bebê de colo:

– Vestia uma camiseta vermelha. O bebê chorava muito. Ela pediu abrigo ao segurança do mercado: “Moço, estou sendo praticamente apedrejada na rua, estou com medo por causa do nenê’”. A moça atrás de Matê decidiu dar sua opinião: “Claro, né, ela é louca, petista andando pela rua com nenê de colo, tá pedindo pra apanhar”.

O terceiro caso ocorreu no Rio, na sexta-feira. Foi relatado pelo portal R7: De roupinha vermelha, bebê e mãe sofrem agressão: “Disse que ia me dar um tiro”. Aconteceu com a fotógrafa Monique Ranauro, de 29 anos, que saiu de casa para comprar comida. A filha de cinco meses estava com um macacãozinho vermelho da personagem Minnie, da Disney. Dormia:

– Achei que fosse um assalto. O homem se aproximou de nós com a moto e, sem tirar o capacete, me chamou de puta. Disse que se eu não fosse pra casa ele iria dar tiro em mim e na minha filha. Saí apressada, trêmula, ouvindo ele me chamar de desgraçada por vestir a criança de vermelho.

Com medo, Monique pressionou a criança no peito. Como ela estava com um colar, o bebê ficou com um pequeno machucado na testa. Ao relatar o caso nas redes sociais, foi ameaçada e criticada. “Senti um medo absurdo e ainda sinto. Meu marido e eu estamos preocupados, com medo. Mas nós não fizemos absolutamente nada. Estamos vivendo numa sociedade que distorce o certo e o coloca como o errado”.

Esses são três casos conhecidos envolvendo bebês. No Rio, sobrou também para uma cachorrinha, de acordo com o colunista Ancelmo Gois, de O Globo: Cachorrinha é chamada de petista e hostilizada por estar com… lencinho vermelho.

Este é o relato do jornalista:

– Quinta, um dia antes das manifestações pró-Lula e Dilma, uma carioca levou esta cachorrinha vira-lata com um lencinho vermelho no pescoço, na pracinha do Bairro Peixoto, no Rio. Foi hostilizada aos gritos de petralha.

MAIS DOIS CASOS

Após o fechamento do texto, inicialmente com três relatos, fiquei sabendo de mais dois casos envolvendo mães com bebês, ambos em São Paulo. Como aguardo autorização para divulgar o nome de uma das vítimas, um dos relatos segue, por enquanto, de forma anônima.

É o relato da mãe de uma vítima, publicado no Facebook:

– Minha filha vinha vindo para minha casa, moramos a um quarteirão de distância, com uma camiseta vermelha, empurrando o carrinho com minha neta de 2 anos. Foi xingada e ameaçada. Chegou aqui tremendo. Se não estivesse com a bebê, poderia correr. Mas estava indefesa. São covardes, por isso agridem mães com bebês.

A professora Dani Takara, moradora da Santa Cecília, divulgou sua história na sexta-feira:

– Saí pra comprar almoço. Tô com um vestido azul com bolinhas brancas, uma fofura. Resolvi ir com o meu Wrap dryfit porque faz tempo que eu não uso e queria ver como estava a sustentação dele com a Nina, agora que ela tem quase 8 quilos. Quando eu tava saindo do restaurante, ouvi lá de dentro (pasmem!) uma voz de ômi dizendo: “Conselho tutelar devia tirar teu filho de você, petista vagabunda!”. Olhei ao redor e pensei: “Nossa, pra quem esse idiota falou isso?” Foi então que percebi que meu Wrap é vermelho…

17 Comentários

  1. Rubin Pedro
    26 Mar, 2016 @ 15:51:16

    NOS EUA TAMBÉM: estreou 18/3 documentário denunciando pregação do ÓDIO pela mídia conservadora – NÃO É COINCIDÊNCIA – o Brasil repete o padrão. Confiram trailer:
    http://www.thebrainwashingofmydad.com/trailer

  2. Luciana
    26 Mar, 2016 @ 14:12:02

    Meu Deus! A que ponto chegamos!
    Ainda bem que moro no interior e por aqui esta loucura ainda não chegou. Tenho um monte de roupas vermelhas, pois adoro a cor, sempre adorei, acho que fica bem em mim, que sou clarinha. Se eu morasse na Capital não poderia usá-las, pois correria o risco de ser agredida? Esta gente está doente, desequilibrada. Que absurdo!
    Obs: Não estou defendendo partido nenhum, apenas defendendo a prerrogativa de se usar a cor que se quiser usar, sem correr riscos.

  3. Kazuhiro Uehara
    26 Mar, 2016 @ 06:54:57

    Doentes mentais, ou desequilibrados mentais que aproveitam das chances oportunistas estimulado pela Rede Golpe de Televisão.

  4. andrea
    24 Mar, 2016 @ 21:32:38

    Que fanfic vergonhosa! Vocês nem ficam vermelhos de vergonha…. É claro… nenhum boletim de ocorrência foi feito… porque e claro,nada ocorreu,a não ser no desejo da cabeça dos psicopatas de extrema esquerda em um site.. deixa eu ver.. ahhhh totalmente vermelho,pura coincidência ,é claro.

    • ARGEMIRO GARCIA
      25 Mar, 2016 @ 12:53:54

      Não acredito que você exista, “Andrea”… Você deve ser um fake, trollando o site. A situação está muito absurda – e você vem reproduzir esse discurso de ódio?

      • Kazuhiro Uehara
        26 Mar, 2016 @ 06:57:26

        Andréa vá. procurar a “Zoia”, onde é a sua própria zona.

      • Miguel
        26 Mar, 2016 @ 13:55:37

        Ô meu camarada sua inteligência deve ficar na sola dos pés, só isso, fazer comentários bestas, se liga abestado.

      • ricardo
        27 Mar, 2016 @ 15:38:28

        Andrea eu tive uma amiga agredida porque não quiz se juntar a manifestantes na paulista em frente a FIESP. Isso não foi fake

  5. Egaz Ramirez de Arruda
    24 Mar, 2016 @ 19:42:22

  6. Luciano jc
    24 Mar, 2016 @ 17:43:20

    Cuidado pra o Brasil virar uma Síria.

  7. Alexandre Belmonte
    24 Mar, 2016 @ 16:01:01

    Fascistas não passarão! Não vai ter golpe!

    • Paulo
      24 Mar, 2016 @ 20:45:38

      É esse tipo de comentário demente de gentalha burra que apoia bandido que faz despertar o ódio dos desequilibrados. Continue com esse raciocínio, se é que dá para considerar raciocínio, e logo logo, você terá o que merece também.

  8. Ariane
    24 Mar, 2016 @ 14:57:11

    Na verdade os fascistoides violentos saíram do armário com o incentivo plim, plim! Qualquer coisa é desculpa para entrevazarem seus ódios reprimidos a duras penas!

    • João Carlos
      25 Mar, 2016 @ 01:26:20

      ” logo logo, você terá o que merece também.”

      Veja só como você se entregou FÁCIL, Paulo: você defende a mesma violência daqueles que chama de “desequilibrados”…

      • ARGEMIRO GARCIA
        25 Mar, 2016 @ 13:00:29

        Não… Eu entendi de forma diferente. Esse “logo, logo” me parece mais uma advertência, pois usar uma peça de roupa vermelha é um “risco”a que todo mundo está sujeito! Uma amiga saiu de casa com um terninho preto com risca de giz. Foi atacada, xingada de petralha porque… estava usando um colar de contas vermelhas!

        E a mãe que usava um bebê-bag vermelho – se a maioria desses objetos é mesmo vermelha! (O de minha filha, que hoje tem 35 anos, era vermelho quando ela era ainda bebê!) E a roupinha da Minnie! Já pensou:
        – “Eu quero usar a roupinha da Minnie, mamãe!”
        – “Não, minha filha! É perigoso!”
        E quando começarem a hostilizar as estrelas de cinco pontas? As camisas do Capitão América serão tachadas de “uniformes comunistas”?

    • Elisander
      25 Mar, 2016 @ 04:01:43

      Os desequilibrados terão o que merecem. Eles que são os loucos e estão absolutamente errados com estas atitudes semelhantes as dos fascistas. Ninguém deve precisar se esconder de pessoas com distúrbios que acham que estão fazendo algum bem ao país quando não passam de massa de manobra.

Deixe um comentário