Médico com a doença do preconceito

Médico com a doença do preconceito

Liane Rossi no Facebook – 

Corredor do Hospital das Clínicas hoje pela manhã, o médico fodão acompanhado de uma dezena de residentes, após passar as visitas nos leitos dá uma aula de preconceito aos alunos. A primeira pergunta é: qual o nome do Estado acima do Sul e do Sudeste, ao que ele mesmo responde, o “Grande Estado da Paraíba, os que elegeram Dilma”, e explica que tudo, fora Sul e Sudeste é uma coisa só. A segunda pergunta é: qual a capital desse “estado”?

Num hospital público, frequentado em sua grande maioria por pessoas pobres, de origem nordestina, o mestre ensina aos residentes, não medicina, não gentileza no trato humano, mas o desprezo que ele demonstra, e que eles devem ter, pela grande maioria dos pacientes do hospital público onde ele atende, e pela grande maioria da população brasileira.

Fiquei com vontade de chorar, depois vontade de pegar o extintor de incêndio e dar na cabeça dele.

Não fiz nada. Não saberia. Cada vez menos sei lidar com pessoas num ambiente onde a classe médica branca, rica ou em vias de, odeia o PT, Dilma, Lula, a esquerda, a distribuição de renda, a justiça social, e por aí vai… E a classe trabalhadora, enfermeiras, técnicos de enfermagem, auxiliares, e doentes pobres tem quase o mesmo discurso. Repetem os bordões de ódio com convicção.

Acho que o extintor deveria cair na minha cabeça.

Imagem meramente ilustrativa

Deixe um comentário